Chefe da ONU prevê Pacto pelo Futuro durante semana de alto nível da Assembleia Geral-Xinhua

Chefe da ONU prevê Pacto pelo Futuro durante semana de alto nível da Assembleia Geral

2022-08-06 11:29:28丨portuguese.xinhuanet.com

O secretário-geral da ONU, António Guterres (centro), fala durante um briefing à Assembleia Geral sobre o progresso da Nossa Agenda Comum na sede da ONU em Nova York, no dia 4 de agosto de 2022. Guterres expressou na quinta-feira a esperança de que a Cúpula do Futuro das Nações Unidas agendado para a semana de alto nível da Assembleia Geral em setembro produzirá um Pacto pelo Futuro. (Mark Garten/Foto da ONU/Apostila via Xinhua)

Nações Unidas, 4 ago (Xinhua) -- O secretário-geral da ONU, António Guterres, expressou na quinta-feira a esperança de que a Cúpula do Futuro, agendada para a semana de alto nível da Assembleia Geral em setembro, produza um Pacto pelo Futuro.

A cúpula é uma oportunidade única em uma geração para revigorar a ação global, reafirmar o compromisso com os princípios fundamentais e desenvolver ainda mais as estruturas do multilateralismo para que sejam adequadas para o futuro, disse ele em um briefing à Assembleia Geral sobre o progresso em sua Agenda Comum.

O resultado de uma Cúpula do Futuro bem-sucedida será um Pacto para o Futuro negociado entre governos, disse ele.

"O foco deste pacto deve estar no compromisso de revigorar o sistema multilateral e adequá-lo aos desafios do presente e do futuro. Deve reafirmar nossa crença fundamental na Carta das Nações Unidas. E deve reorientar nossos esforços em cumprir nossos compromissos existentes na Agenda 2030 e no Acordo de Paris, abordar ameaças à paz e segurança internacionais, além de realizar nossas ambições em direitos humanos, justiça internacional e igualdade de gênero", disse Guterres.

"O Pacto pelo Futuro deve mostrar ao mundo que, enquanto enfrentamos desafios assustadores, podemos superá-los com cooperação, compromisso e solidariedade global. Devemos mostrar que, com ênfase em nossa humanidade compartilhada e um sistema multilateral fortalecido, podemos colocar o mundo em um caminho melhor", acrescentou ele.

Faz quase um ano que ele apresentou o relatório Nossa Agenda Comum. Nesse período, a necessidade das propostas do relatório só aumentou, disse Guterres.

Além da tripla crise planetária de colapso climático, poluição do ar e perda de biodiversidade, e o imenso sofrimento causado pela pandemia de COVID-19, os conflitos estão ocorrendo em todo o mundo. Os países em desenvolvimento estão sob pressão. Sem recursos para investir na recuperação da pandemia e lidar com o impacto do conflito na Ucrânia, a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável foram desviados ainda mais, disse ele.

A previsão econômica global é alarmante. Quatro países não pagaram suas dívidas; muitos outros enfrentam o risco de inadimplência. O financiamento para o desenvolvimento está acabando ou sendo desviado. Enquanto isso, evidências esmagadoras de catástrofe climática estão aumentando diariamente. A competição geopolítica se intensificou. O risco de confronto nuclear é agora mais agudo do que em décadas, observou ele.

"Nossa Agenda Comum pretendia ser um alerta. Um ano depois, devemos nos perguntar: acordamos?", questionou ele.

Embora os problemas que o mundo enfrente sejam sem precedentes, eles não são insuperáveis, disse ele. "Nossa Agenda Comum tenta corrigir nosso curso, guiado pela Carta das Nações Unidas, para construir um mundo mais seguro, resiliente e inclusivo estabelecido na Agenda 2030 e nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável".

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com