(Multimídia) China está comprometida com metas de carbono apesar da volatilidade global-Xinhua

(Multimídia) China está comprometida com metas de carbono apesar da volatilidade global

2022-09-23 09:20:15丨portuguese.xinhuanet.com

Foto aérea mostra uma usina fotovoltaica (PV) no distrito de Gonghe, na sub-região autônoma tibetana de Hainan, na Província de Qinghai, noroeste da China, em 8 de fevereiro de 2022. (Xinhua/Zhang Long)

   Beijing, 22 set (Xinhua) -- A China permanecerá comprometida em alcançar o pico e a neutralidade de carbono em meio a recentes retrocessos nos esforços globais de redução de emissões, já que alguns países recorreram às usinas de carvão para superar uma crise de energia, disse Liu Dechun, oficial da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (CNDR).

   "A transformação de baixo carbono não é um processo simples", explicou Liu em uma coletiva, acrescentando que a China integrará as metas de carbono no quadro geral da proteção ambiental e do desenvolvimento econômico e social.

   O país prosseguirá na transformação verde e de baixo carbono de suas fontes de energia, reformará suas indústrias para aumentar a eficiência energética e estimulará inovações em tecnologia verde, continuou.

   A quinta-feira marca o aniversário de dois anos da promessa da China de atingir o pico de emissões de carbono até 2030 e a neutralidade até 2060. Essa causa teve um bom começo, exaltou ele.

   A China lançou um mercado nacional de carbono em julho de 2021 e registrou um faturamento acumulado de 195 milhões de toneladas de cotas de emissão de carbono no valor de quase 8,6 bilhões de yuans (US$ 1,2 bilhão) até 14 de setembro.

   Um notável avanço de baixo carbono também pode ser visto em setores como construção e transporte. O país completou mais de 2 bilhões de metros quadrados de edifícios ecológicos em áreas urbanas até 2021 e liderou o mundo em termos de produção e vendas de veículos de nova energia por sete anos consecutivos.

   A China avançou no consumo limpo e eficiente de carvão e registrou 1,1 bilhão de quilowatts em capacidade instalada de fontes de energia renovável, ocupando o primeiro lugar mundial, destacou Liu.

   O consumo de energia por unidade de produto interno bruto do país continua caindo, enquanto a taxa de cobertura florestal está cada vez maior para absorver mais emissões de carbono.

   A China vem promovendo um mecanismo equitativo e vantajoso para todos para a governança climática global e apoiando os esforços de baixo carbono dos países em desenvolvimento, afirmou Liu.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com