Destaque: Imagem de três coelhos liga civilizações através da Rota da Seda-Xinhua

Destaque: Imagem de três coelhos liga civilizações através da Rota da Seda

2023-01-24 15:09:53丨portuguese.xinhuanet.com


Imagem mostra um padrão do símbolo de três coelhos na Caverna 407 das Grutas de Mogao, em Dunhuang, Província de Gansu, China. (Academia de Dunhuang/Divulgação via Xinhua)

Uma imagem rara de três coelhos, com cada par de coelhos adjacentes compartilhando uma orelha e juntos formando três orelhas em vez de seis, e perseguindo um ao outro em um círculo, foi encontrada na China e em outros países. Esta imagem é considerada como um símbolo de intercâmbio cultural entre a China e outras civilizações através da antiga Rota da Seda.

Beijing/Teerã, 22 jan (Xinhua) -- Como o Ano Novo Lunar Chinês, ou o Ano do Coelho, cai no domingo, as imagens de coelhos foram exibidas em todo o mundo e amadas por pessoas no Oriente e no Ocidente.

Uma imagem rara de três coelhos, com cada par de coelhos adjacentes compartilhando uma orelha e juntos formando três orelhas em vez de seis, e perseguindo um ao outro em um círculo, foi encontrada na China e em outros países. Esta imagem é considerada como um símbolo de intercâmbio cultural entre a China e outras civilizações através da antiga Rota da Seda.

A IMAGEM DE TRÊS COELHOS DA CHINA EM DUNHUANG

As imagens de três coelhos, que apareceram no século VI, foram encontradas em um total de 20 grutas nas Grutas de Mogao, um Patrimônio Mundial da UNESCO, na cidade de Dunhuang, Província de Gansu, no noroeste da China, disse Zhao Yanlin, pesquisador da Academia Dunhuang.

Mais tarde, eles foram exibidos na Ásia Central e na Ásia Ocidental entre os séculos 12 e 13 através da Rota da Seda, e foram encontrados no Egito e na Europa entre os séculos 13 e 16, disse ele.

As imagens também foram encontradas em muitas placas antigas no Afeganistão, cerâmica no Egito, relógios de igreja na Alemanha e azulejos pintados na Grã-Bretanha, acrescentou.

IMAGEM DE TRÊS COELHOS NO IRÃ

O motivo circular é muito conhecido e aparece em pinturas e gravuras esculpidas em moedas, bandejas e objetos de metal ou pintadas em pratos de barro e azulejos. Foi encontrado em muitas partes do mundo, incluindo o leste da Ásia e o Oriente Médio. No Irã, foi encontrada uma bandeja da Idade Média com tal símbolo.

Kourosh Salehi, um historiador iraniano e especialista em assuntos internacionais da Universidade Internacional de Denominações Islâmicas, acredita que o motivo de três coelhos encontrado em diferentes artefatos no Irã reflete o impacto cultural da China no Irã.

Kourosh Salehi, historiador e especialista em assuntos internacionais da Universidade Internacional de Denominações Islâmicas, observa uma moeda com o símbolo do coelho em Teerã, Irã, 17 de janeiro de 2023. (Xinhua/Gao Wencheng)

O historiador disse que o símbolo de três coelhos encontrado no Irã, refletido em alguns artefatos de metal e moedas, parece ter sido trazido ao Irã por artistas e pintores chineses, pois está em perfeita conformidade com os vistos em amostras descobertas na China no antigo era, mostrando o impacto cultural chinês na cultura iraniana durante a dinastia Ilkhanate (1256-1353).

Entre as características distintivas dos símbolos dos três coelhos em todos os artefatos encontrados no Irã até agora está o fato de os coelhos serem exibidos no centro de um objeto redondo perseguindo um ao outro em um círculo, o que provavelmente implica a continuação do círculo da vida, fertilidade e morte.

A antiga Rota da Seda levou a intercâmbios culturais entre a China e o Irã, deixando marcas visíveis na tradição cultural iraniana de hoje, uma das quais é o zodíaco de 12 animais, disse um historiador iraniano.

"Como na China, o próximo ano novo no Irã, que começará em 22 de março, também é o Ano do Coelho", disse Salehi. "O interessante é que, ao longo do processo de evolução e da história, o conceito dos animais vindo da China e do Leste Asiático entrou na cultura do Irã."

"Os iranianos, além de nomear e enumerar os anos com base em seus números ordinais de acordo com o calendário solar islâmico, ainda dizem que animal cada ano representa." Do ponto de vista da semiótica e da mitologia, Salehi disse que o coelho simboliza fertilidade, instabilidade, rapidez, esperteza e vida social.

Uma moeda com o símbolo do coelho é exibida em Teerã, Irã, 17 de janeiro de 2023. (Xinhua/Gao Wencheng)

CALENDÁRIO TURCO ANTIGO DE 12 ANIMAIS

Além da imagem dos três coelhos, outros símbolos do coelho também mostram as trocas culturais entre a China e outras civilizações. O próximo Ano do Coelho, de acordo com o calendário lunar chinês, lembra os turcos de um de seus antigos rituais.

O calendário turco de 12 animais, derivado do calendário lunar chinês, também incluía o Ano do Coelho durante os tempos antigos, quando as tribos turcas praticavam amplamente o xamanismo, uma prática religiosa.

Sergen Cirkin, um arqueólogo turco, disse à Xinhua que algumas descobertas arqueológicas indicam que o calendário de 12 animais era usado há cerca de 3.200 anos entre as tribos turcas, como os citas.

Os turcos, sob o xamanismo, viam os coelhos como animais espirituais agindo como mensageiros e atribuíam aos coelhos um valor distinto para impedir guerras, lutar contra males, caçar e até dar à luz uma criança, disse ele.

"Além disso, descobrimos que o coelho era um poderoso símbolo divino para o xamanismo turco, especialmente durante o parto. Vemos que um objeto feito de pele de coelho estava pendurado em uma tenda onde ocorria o nascimento", acrescentou Cirkin.

Ele também observou que o coelho simboliza compaixão e timidez.

O calendário de 12 animais indica como as culturas chinesa e turca se entrelaçaram desde antes de Cristo, disse à Xinhua Ahmet Tasagil, chefe do Departamento de História da Universidade Yeditepe, com sede em Istambul.

"Qin Shihuang, o primeiro imperador de uma China unificada reinou durante 221 aC e 210 aC, tinha um relacionamento próximo com as tribos do norte, que chamamos de tribos turcas", explicou Tasagil.

"Como resultado de laços tão estreitos, os turcos adotaram a versão do calendário lunar e o chamaram de calendário turco de 12 animais", disse ele.

Uma decoração em forma de coelho é exibida em um restaurante em Istambul, Türkiye, em 17 de janeiro de 2023, antes do próximo Ano Novo Chinês, o ano do Coelho. (Foto da Xinhua)

RELACIONANDO-SE COM DEUS NO ANTIGO EGITO

Observando o Ano Novo Lunar Chinês do Coelho, que começa no domingo, Tarek Tawfik, vice-presidente da Associação Internacional de Egiptólogos, disse que o coelho, o mais sortudo dos 12 animais do zodíaco na cultura chinesa, também é um signo importante e especial do hieróglifo na língua egípcia antiga.

O especialista em egiptologia explicou que o coelho selvagem se assemelha ao verbo Un ou Wenin, que significa ser, acontecer e continuar, observando que os egípcios desenhavam coelhos selvagens em seus túmulos porque admiravam sua esperteza, velocidade, olhos grandes inteligentes e orelhas longas e cautelosas. .

O professor acrescentou que o signo do coelho também estava associado a Osíris, uma das divindades mais importantes do Egito, que era o deus do submundo e simbolizava a morte, a ressurreição e o ciclo de inundações do Nilo, do qual o Egito dependia para a fertilidade agrícola.

Pessoas se reúnem em uma padaria decorada para o próximo Ano Novo Lunar Chinês, o Ano do Coelho, no Cairo, Egito, em 18 de janeiro de 2023. (Xinhua/Wang Dongzhen)

Un-nefer, ou Wenenu, significa que Osíris aparecerá após a ressurreição em uma bela forma, acrescentou Tawfik, também ex-diretor geral do Grande Museu Egípcio.

Os egípcios também veem os coelhos como um animal que traz sorte e bom futuro. Depois de comprar um carro para trabalhar de taxista, Mahmoud Samy, um porteiro de 55 anos de um prédio residencial no distrito de Maadi, no sudeste do Cairo, pendurou um colar plástico com forma de pernas de coelho em seu carro para trazer sorte e bons rendimentos.

"Os coelhos são famosos por sua fertilidade e reprodução, o que significa mais dinheiro e evita acidentes", disse ele.

Tawfik explicou que tanto os egípcios quanto os chineses, como povos de civilizações antigas, acreditam na rapidez e reprodução de coelhos, especialmente aquelas fundadas nas margens de grandes rios como o rio Nilo no Egito e o rio Yangtze na China, são conectadas com semelhanças de natureza e relações comerciais, mesmo com longas distâncias, traziam interação e influência mútua.

Fale conosco. Envie dúvidas, críticas ou sugestões para a nossa equipe através dos contatos abaixo:

Telefone: 0086-10-8805-0795

Email: portuguese@xinhuanet.com